Quando nascemos, surgimos em um universo social com regras já estabelecidas. Desde criança aprendemos a nos portar de acordo com a cultura onde estivermos inseridos. Aos poucos, começamos a perceber que temos hábitos e atitudes que são extremamente danosos a nossa saúde e ao meio ambiente, mas alterar posturas culturais requer um grande esforço individual, tempo e maturação. Não acredito na mudança através de críticas e discussões improdutivas, embasadas somente naquilo que não deve ser feito. Acredito que todos devem buscar alternativas para aquilo que esteja ao seu alcance, apostando que pequenas mudanças geram grandes transformações.

domingo, 16 de dezembro de 2007

Casa longa vida em Vitorino



No período de agosto a dezembro de 2007, foi realizado no município de Vitorino, sudoeste do Paraná, através do Instituto Lar, o curso de capacitação para construção de módulos longa vida, do programa ERA (ver postagens de setembro/07). A ação voluntária de 11 senhoras na produção dos módulos e a participação da comunidade na separação de 500 Kg de resíduos, resultou na construção de uma casa longa vida de 25m². Esta casa foi utilizada para receber o Papai Noel em um grande evento que aconteceu dia 14 de dezembro. Foi um sucesso!!! Mas...
Não posso deixar de registrar aqui minha grande indignação, em nome das voluntárias, pela falta de reconhecimento por parte das autoridades locais, que sequer citaram, este trabalho tão importante, em seus intermináveis discursos políticos neste dia. Não só ignoraram nosso trabalho, como me excluíram do palanque, onde eu faria uma grande homenagem a todos que participaram da transformação do lixo em matéria prima. Portanto, deixo aqui registrado meus agradecimentos:

Alcimara Nunes de Souza, que assumiu, com dedicação, o gerenciamento da produção além de me hospedar com muito carinho em sua casa durante esses meses de trabalho.
Angelina Loch, Cecília Maria Fancin, Cláudia Todescato, Maria Delurdes Machado Fontana, Marlen Breciani Foscheira, Neide Iranir Fancin Mingotti, Porcina Breciani Araújo, Realina Mingotti, Tereza Miranda de Souza e Terezinha Costa Madruga, que trabalharam voluntariamente, com dedicação na produção dos módulos.
Eliete da APMI que cedeu o espaço e assumiu o financiamento dos materiais para a construção dos módulos e da casa.
Leandro da "Portas Forte", que doou 2 portas.
Senhor Olegário e sua equipe de carpinteiros, que, com muito capricho, montaram a casa no prazo determinado.
Senhor Miraldo, que prontamente providenciou todo o madeiramento de última hora.
Toda a comunidade que selecionou e nos enviou 500 Kg de resíduos secos e 2000 embalagens tetra pak de leite.
A todos vocês, muito obrigada pela dedicação e amizade e parabéns pelo bonito trabalho. Nós conseguimos e a casa está lá pra quem quiser ver!
Ângela.

2 comentários:

Andressa disse...

Ângela, lindo trabalho, parabéns a todos!

Infelizmente sabemos que algumas ações sociais são deixadas em segundo plano quando se pensa em atuação política. Mas, quem realmente está envolvido, sabe das ações, da participação de todos, e de cada um em especial e pode, melhor do que ninguém, olhar nos olhos dos participantes e agradecer. Assim também recebe o melhor retorno possível e imaginável pelo trabalho desenvolvido.

Fiquei só com vontade de ver a casa por dentro... mas parabéns a todos e todas!

Denisolidaria disse...

Linda, linda....

parabéns a vc e a todos que contribuíram....

e , mais uma vez, nota zero a esses políticos oportunistas....

não desanime, vá em frente, pois vc é muito capaz!!!!

Sucesso!!!!!!!!!!!!!